«Omote-Ura»

1ª apresentação no Coliseu de Lisboa a 14 de Maio de 2015.
 
Coreografia de Manuel Galrinho   performers: Ana Moleiro, Manuel Simões, Débora Lopes, Maria do Carmo Bastos e Júlia Morgado
 
«Flowing»

Apresentada a 28 de Agosto de 2014 no Axis Ofir Beach Resort em Esposende.
 
Coreografia criada para uma apresentação do FSY.   Coreografia de Manuel Galrinho
Performer Mikaela Castro
 
«Encontro»

Estreia: 22 de Junho de 2013 em Lisboa
 
Coreografia criada para a apresentação no evento, que teve lugar no Auditório da Escola Secundária D. Dinis, «Álvaro Cunhal e a emancipação da Mulher».   Coreografia de Manuel Galrinho e Sofia Rosado
 
«Mu no Michi» (O Caminho de Mu)

Estreia: 8 de Maio de 2013 no Fórum Luisa Todi
 
Sinopse    
Uma das questões fundamentais do Budismo Zen, escola rinzai, é o koan «Mu». Trata-se de um questionar sem solução ao nivel do intelecto, o seu objectivo é produzir uma mutação na percepção que o monge tem de si mesmo e do mundo.
Um monge que recebe este koan passa por várias fases, dessas, de forma resumida, destacam-se três:
1. Com base na literatura zen e na sua reflexão procura resolver o enigma sem ter ainda consciência da dificuldade da tarefa que terá pela frente nos próximos anos.
2. Após algum tempo e depois de várias tentativas frustradas o problema revela-se como uma verdadeira batalha interior. O monge apercebe-se que se terá de atirar a «Mu» de um modo totalmente diferente daquele com que até então enfrentou os seus problemas. O que está em causa não é um mero problema, o que está em causa é ele próprio.
3. Ter-se atirado a «Mu» com todas as suas forças, fê-lo compreender que para além do intelecto, da emoção e do sentimento um outro território desponta e sobre os despojos da batalha algo novo floresce. A peça segue estas três etapas, é a exposição deste caminho.
  Na primeira parte, a repetição de movimentos circulares revela a circularidade sem saída em que se encontra o monge nas suas primeiras tentativas. Na segunda parte os movimentos transformam-se em guerra, correspondem ao momento em que o monge toma consciência que o koan é uma luta consigo mesmo, uma luta de morte. As armas usadas nesta luta são leques vermelhos de antigos guerreiros. A terceira parte é o momento do renascer: da terra, em movimentos lentos, quase imperceptiveis, algo começa a tomar forma. A luta ainda não terminou mas uma nova vida desponta. Os movimentos progressivamente mais dinâmicos e mais harmoniosos apontam para este despontar.

«Mu no Michi» - caminho, guerra, dança, ritual, recolhimento, silêncio e quietude.

A peça tem a duração de 50 min.

Concepção de Manuel Galrinho.
     
«Caminhar - abertura»

Dividido interiormente o monge inicia a sua caminhada.
Coreografia de Manuel Galrinho - «Mu no Michi» cena 1.
 

«Círculos»

O koan revela-se como um círculo sem saída.
Coreografia de Manuel Galrinho - «Mu no Michi» cena 2.
 
«Seguir»

O Monge não está sozinho deve aprender a seguir: a tradição, os mestres, os mais experientes.
Coreografia de Manuel Galrinho - «Mu no Michi» cena 3.
 
«Guerra»

Mu revela-se como uma luta, uma luta interior.
Coreografia de Manuel Galrinho - «Mu no Michi» cena 4.
 
«Funakoshi - remar»

O Monge tem pequenes vislumbres de harmonia. As várias faces do eu eu remam por vezes na mesma direção.
Coreografia de Manuel Galrinho - «Mu no Michi» cena 5.
 
«Solo 1»

O monge revela uma das suas faces.
Coreografia de Manuel Simões - «Mu no Michi» cena 6.
 
«Solo 2»

O monge revela uma outra face.
Coreografia de Sofia Rosado - «Mu no Michi» cena 7.
 
«Solo 3»

O monge revela uma outra face.
Coreografia de Manuel Galrinho - «Mu no Michi» cena 8.
 
«Troca»

As diferentes faces do monge dialogam entre si.
Coreografia de Manuel Galrinho - «Mu no Michi» cena 9.
 
«Terra»

O monge transforma oposição em Harmonia, guerra em paz.
Coreografia de Manuel Galrinho - «Mu no Michi» cena 10.
 
«Caminhar - final»

O monge atinge a iluminação, os vários aspectos do seu eu estão em harmonia.
Coreografia de Manuel Galrinho - «Mu no Michi» cena 11.
 

   
«Embarcadero Monoalco»

Estreia: 25 de Outubro de 2012 na Cidade do México
 
Peça apresentada no Festival Internacional «Cerro de Arena» pela Companhia Interdisciplinar da UVA.
  Coreografia e interpretação de Manuel Simões.
 

«Encontro»

Estreia: 7 de Fevereiro de 2011 na ESSG


 
No Aikido e Tenchi Tessen os princípios fundamentais do movimento são a aceitação. Em vez da oposição trabalha-se o acolhimento. Mais importante que o desencontro é o encontro. Esta coreografia explorou este princípio.  

Coreografia: Manuel Galrinho.

 

«Sopros»

Estreia: 12 de Fevereiro de 2010 na ESSG

 
O leque, Tessen, ao abrir faz um estrondo como um trovão. Como que animado por um sopro vital faz ouvir a sua voz. O som de 15 leques é exploradao de multiplas maneira, ora em uníssono ora em rajada, ora forte ora suave como as folhas de uma árvore sopradas pelo vento.   Coreografia: Manuel Galrinho
 

«Deai»

Estreia: 25 de Abril de 2005 no Fórum Luisa Todi

 
«Deai» significa encontro. Neste trabalho encontram-se em palco movimentos de várias artes marciais: Iaido, Kyudo e Aikido. A peça evolui de situações guerreira violentas para movimentos progressivamente mais fluidos.
  Coreografia conjunta: Aikido - Manuel Galrinho, António Galrinho e Manuel Simões; Iaido - Miguel Tiago; Kyudo - Carmo Ferreira.
Participaram ainda: Mário Chainho, Eunice Palhano, Daniel Silva, André Pais, André Carrajola e André Santos.
 

«Um cão?... Mu!»

Estreia: 25 de Abril de 2004 no Fórum Luisa Todi

 
«Um cão?... Mu» Com esta peça começa a demanda em torno do koan «Mu» que tem sido uma das fontes principais de inspiração.   Coreografia e dança: Manuel Galrinho e Manuel Simões
 

Coreografia de movimentos de Aikido

Novembro de 2004 em Norfolk na Old Dominion University USA

 
Demonstração integrada num grande encontro da Dai Nippon Butokukai.   Coreografia: Manuel Galrinho
Performers: Manuel Galrinho, Eunice Palhano e André Santos.
 

«AI-KI»

Estreia: 13 de Julho de 2002 no Olga Cadaval

 
Coreografia integrada no espectáculo Festival Ten-Chi 2002.   Coreografia: Manuel Galrinho
Performers: Manuel Galrinho, Manuel Simões e outros praticantes de aikido da escola Tenchi.
 

«A procura da Harmonia»

Estreia: 4 de Junho de 2001 no CCB

 
Aikido significa à letra «A procura da harmonia das energias». Nesta coreografia procurou-se ir para além da técnica no sentido de explorar essencialmente o dimensão da harmonia   Coreografia: Manuel Galrinho
Performers: Manuel Galrinho, Manuel Simões e outros praticantes de aikido da escola Tenchi.
 

Recepção a Saramago

1999 em Setúbal

 
Espectáculo com uma coreografia de movimentos de Aikido de homenagem a Saramago a propósito da atribuição do Prémio Nobel da Literatura.   Coreografia: Manuel Galrinho
Performers: Manuel Galrinho, António Galrinho, Rodrigo Gouveia e José Miguel Sanches.
 

«Ressurreição»

Apresentada em 19 de Maio 1995 em Setúbal

 
Interpretes: alunos do curso de animação cultural da Escola Bento de Jesus Caraça   Coreografia de Manuel Galrinho
 

«Terra, água, ar e fogo»

Estreia: 21 de Abril de 1993 no Fórum Anunciada

 
Peça com 6 coreografias sobre os elementos da filosofia grega.   Coreografia: Manuel Galrinho